Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Rapaz Invisível

Pre-con-cei-to

Sem Título.jpg

Portugal, o país do preconceito e das mentes fechadas. 

Infelizmente vivemos num país pequeno, onde todos pensam pequeno seja sobre o que for.  Portugal, graças ao portugueses, será sempre o país do preconceito. Do preconceito de género, de raça, de idade, de orientação sexual, da escolha religiosa. Um país "livre" onde a "liberdade" de escolha é pouca (ou nenhuma). A bem da verdade, a liberdade de escolha existe, não sem nunca ter alguém a apontar o dedo. Ora peguemos em alguns exemplos:

 

Uma mulher quando chega a um cargo de direção de uma empresa, só o conseguiu de uma de duas maneiras: ou é amante do diretor-geral ou foi para a cama com ele. Sim, porque uma mulher não pode ter mérito próprio para chegar a um lugar de topo.

 

Mas vejamos mais. Dois homens são amigos. Jantam juntos, saem juntos, vêm televisão juntos. São, automaticamente, homossexuais e têm uma relação. Por sua vez, se forem duas mulheres a fazer isso não são homossexuais, são apenas boas amigas. E qual é a diferença? O sexo?

 

E vamos mais longe. Se um elemento do casal é mais novo que o outro, uns bons anos, ou estão juntos por interesse ou porque dá jeito. Já não existe o amor?

 

Até quando vamos continuar a ser preconceituosos com coisas pequeninas? Até quando vamos continuar a ser as mentes fechadas que somos? Está na hora da mudança, e todos contam para mudar!

---
O Rapaz Invisível também está no Facebook e no Instagram. Segue-o.

3 comentários

Comentar post