Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Rapaz Invisível

Portugal

Portugal: o país dos 3f's (e não, não é nenhum que estejam a pensar). Fátima, Fado e Futebol. O eterno país onde o futebol é o desporto-rei. O eterno país que move multidões por ter 11 rapazes a correr atrás de uma bola. O eterno país que, em sinal de amor à pátria, mete bandeiras na janela para apoiar a seleção de futebol. O mesmo amor à pátria que (não) têm quando se toca em outros temas sensíveis.

 

 

Portugal, o eterno país onde só há um desporto: o futebol. E os outros atletas? E os velocistas, os nadadores, os triatletas, os tenistas, e tantos outros?

Infelizmente, Portugal é o país da cerveja na mão, prato de caracóis/tremoços/amendoins (consoante a época) na mesa e futebol na televisão. De ir ao aeroporto receber a equipa (e aqui incluam a seleção nacional) quando ganham um jogo ou perdem mas foi "sofrido".

 

Então e os outros atletas? Aqueles que poucos, ou nenhuns, apoios recebem do estado? Que treinam 7 dias por semana, faça chuva ou faça sol? Então e esses atletas que se esforçam para ir representar Portugal, ganhar uma medalha, e o apoio que sentem é (apenas) dos seus familiares e amigos? 


Nos jogos europeus em Baku, este ano, Portugal arrecadou 10 medalhas, ficou em 18º lugar no ranking dos países medalhados (e foram 50 os medalhados). E onde estavam os portugueses, orgulhosos na pátria, pelo ouro conquistado no Ténis de Mesa, no Taekwondo e no Judo, pela prata que conseguimos no Triatlo, na Canoagem e no Tiro e pelo bronze que ganhamos no Taekwondo, no Futebol de Praia e nos Trampolins sincronizados?

 

Enquanto o futebol continua a ser desporto-rei, o Rapaz Invisível faz uma vénia a todos os atletas, de todas as modalidades, que levam o nome de Portugal lá fora e, através do seu esforço, conseguem mostrar que há mais desporto que o futebol!

 

---
O Rapaz Invisível também está no Facebook e no Instagram. Segue-o.

4 comentários

Comentar post